Inspirações diárias: moda, cinema, literatura e o que mais der vontade!

segunda-feira, 30 de março de 2009

Costa do descobrimento - o primeiro vilarejo



De cima para baixo - mapa do centro histórico, vista dos recifes, rua da Vila ainda hoje habitada e o marco do descobrimento, trazido pelos portugueses para cá em 1503.

Passear pela cidade histórica de Porto Seguro, sul da Bahia, é uma volta ao tempo, principalmente em períodos fora da grande temporada, quando pode-se andar calmamente por ruazinhas pacatas, admirar as casinhas coloridas, a igreja mais antiga do Brasil ainda de pé e tentar avistar do alto os recifes de corais, proteção natural, que mais parece uma barreira feita pelo homem, com os olhos de Cabral e contemporâneos.
Ou tentar imaginar-se nativo, indígena, diante do primeiro contato com o homem branco e seus grandes barcos...

"...velejando nós pela costa, na distância de dez léguas do sítio onde tínhamos levantado ferro, acharam os ditos navios pequenos um recife com um porto dentro, muito bom e muito seguro, com uma mui larga entrada. E meteram-se dentro e amainaram. E as naus foram-se chegando, atrás deles. E um pouco antes de sol-posto amainaram também, talvez a uma légua do recife, e ancoraram a onze braças. "
O fato é que ali, naquele Porto Seguro, tal qual descreve o trecho da carta de Caminha acima, surgiu a primeira vila brasileira. Marco do início de nossa civilização, bem sabemos que com ela iniciou-se uma cultura de exploração ao longo dos séculos seguintes e que civilizar era objetivo secundário. Porém foi naquele momento que o Brasil passou a existir para o restante do mundo e pôde ser incluido em um mapa pela primeira vez. Então renasceu esta terra , e muito do que se via hoje não se vê mais. A nós, resta imaginar, sentir, porque à terra de Vera Cruz que os portugueses conheceram como tal não nos foi dado o privilégio de assistir.

sábado, 14 de março de 2009

Girassol




"Os girassóis são as mais “felizes” das flores e seus significados incluem a lealdade e longetividade, são únicos na habilidade de prover energia vibracional, como um espelho do sol, provendo seu calor e sua luz, invocando sentimentos de calor, conforto e felicidade." fonte: http://blog.florencanto.com.br

O girassol reflete sentimentos de felicidade e pensamentos ensolarados. Especificamente para mim, significa a busca constante pela luz, por um objetivo ou então a vontade de ser feliz, alegre, sempre!

Ensaios - uma profissão

Boa aluna, a menina Glaucia não tinha uma carreira certa a seguir. Como a maioria, era mais uma perdida entre tantas possibilidades. Na infância, meus anseios não ajudaram - afinal, ser cantora, escritora ou astronauta (sim!! astronauta) não eram possibilidades paupáveis para mim.
Esclarecendo, tenho uma voz péssima para a música. E a área de jornalismo não me garantiria um bom mercado de trabalho assim que saísse da faculdade. Eu não estava em condições de arriscar...
No ensino médio, comecei a desenvolver o gosto pela química. Busquei no vestibular a carreira mais promissora na área e acabei me rendendo à engenharia química. Escolha acertada, mas nem por isso menos árdua e sofrida.
Então, em 2002, lá estava eu na UERJ, o primeiro grande sonho que se tornou real. Mesmo ano em que garantiria o meu primeiro emprego, algo muito importante para mim, pois eu desejava -e precisava- de mais e não poderia esperar cinco anos até ter
minha independência.
E, afinal, um dia eu ainda poderia escrever.

Ensaios - A pequena escritora

Por volta dos oito anos eu era uma menina tímida, calada e que adorava escrever.
Escrevia poesias, pequenos textos e sonhava compilá-los em um livro. Meus rascunhos soltos ficavam guardados com carinho, até, tempos depois, eu esquecê-los completamente em algum canto. Lembro-me de tê-los vistos mais uma vez nas mãos de minha mãe, não sei se ela ainda os guarda.
Sim, houve um tempo em que eu queria ser escritora.
Sempre gostei de escrever. Na escola, cheguei a escrever duas peças para o teatro. Lembro também de dois livros que participaram da "Semana do Livro". Enquanto para os outros alunos aquilo era mera obrigação, a mim fascinava o mundo dos livros. Escrevi o primeiro, "Vale do Encantos", por motivação própria, e entreguei à professora para que corrigisse. O segundo, "Setembro", foi trabalho de escola, mas não menos prazeroso.
Nessa mesma época descobri o mundo da leitura. O universo de Monteiro Lobato me encantou quando li "Reinações de Narizinho".
Sensação aquela que nunca mais outra leitura me proporcionou. Era um mundo novo que se descortinava.

Apresentação

A ideia do blog me ocorreu recentemente. Não entrei na onda de criar blogs "à toa". E quando pensei nisso, a primeira reação foi recuar, pois um blog pra mim seria um compromisso sério, deveria ter tempo para atualizar ao menos uma vez por semana e inspiração para escrever algo relevante e de interesse. Amadureci a idéia por algumas semanas. A primeira dúvida foi sobre qual assunto escrever.
Talvez fosse mais fácil escolher um tema específico, mas isso não me daria a liberdade de falar o que estou com vontade, de escrever sobre o que desejo, e é isso o que me atrai em um blog. Se hoje estou a fim de falar de violência falo, amanhã o assunto pode ser uma estréia de cinema ou livro, depois de amanhã posso escrever sobre crise política e também sobre memórias da minha infância.
Então, sejam bem-vindos ao Blog do Girassol - assuntos do cotidiano, pequenos textos e o que mais der vontade!
Glaucia Fonseca